Exclusivo: entrevista com Theodoro Alex, presidente da USA Discos

115
364

Usafilmes

O BJC estréia hoje a nova categoria de entrevistas!

Nesta primeira, procuramos (via e-mail) o presidente da USA Discos, Theodoro Alex, para que ele explicasse algumas das questões mais polêmicas das últimas semanas do BJC: afinal, como uma empresa relativamente pequena consegue lançar títulos que são de propriedade de outras produtoras internacionais? Confira abaixo as respostas do responsável pela empresa que já lançou Dragon Ball, Pica-Pau e Rambo, e que em breve lançará Ben 10, Smurfs e o tão esperado Caverna do Dragão em DVD!

BJC – Há quanto tempo a USA Filmes está no mercado de DVDs? Como tudo começou na empresa, que é tradicional no ramo musical, mas desconhecida da maior parte dos brasileiros na sua divisão de home video?

ALEX – A empresa existe há mais de 17 anos, e DVDs musicais estamos lançando a aproximadamente 10 anos. A empresa, mesmo produzindo especialmente músicas regionais e do sul da América, nunca deixou de buscar atingir o Brasil inteiro. No momento em que enfraquecia a distribuição de filmes em DVDs no mercado brasileiro, bem como o declínio nas vendas de CDs e DVDs musicais foi o momento de apostarmos em novos mercados e novos produtos, com os quais tivéssemos alguma afinidade. E foi assim que entramos no mercado do DVD Vídeo, e daí foi um passo para entrarmos no mercado do CD e DVD de grandes intérpretes internacionais.

BJC – Existe uma polêmica quanto ao licenciamento dos produtos lançados pela USA Filmes em DVD. Como é o processo de aquisição de séries animadas como Dragon Ball e Naruto, por exemplo?

ALEX – A USA Discos negocia, compra e paga antecipadamente os direitos de comercialização de todos os produtos estrangeiros já lançados, bem como futuros lançamentos, que levam a marca da nossa empresa. Obviamente todos estes acordos são feitos mediante contratos. A USAFILMES só lança produtos que possuam contratos escritos. Todos os contratos de produtos comercializados com a nossa marca estão em nosso poder. Os contratos são celebrados diretamente com os detentores dos Direitos ou com representantes internacionais.

BJC – No caso de Dragon Ball, esse licenciamento passou pela Angelotti Licensing (representante no Brasil) ou pela própria Toei Animation? Caso negativo, como acontece a regularização do material audiovisual?

ALEX – O licenciamento foi feito por uma empresa canadense, autorizada pelo braço da Toei, responsável pelo Home Video para a América Latina.

BJC – Como são feitas as negociações com a Warner ou Universal, no caso de Rambo, Pica-Pau ou Flintstones? Ou isso não passa por eles?

ALEX – Isto não passa por eles.

BJC – Os produtos da USA Filmes são desejados por muitos colecionadores brasileiros. Existe a previsão da empresa lançar produtos voltados para esse mercado, com embalagens Digipaks, em latas ou com brindes como a Focus Filmes vem lançando ultimamente? (excetuando a lancheira de Pica-Pau e Flinstones).

ALEX – A USA Filmes tem intenção sim, de satisfazer os desejos dos colecionadores, porém devido ao aumento dos custos finais dos produtos este caso está em estudo. A coleção BEN 10 (15 DVDs) deverá trazer uma revistinha com figurinhas colecionáveis.

BJC – Qual o motivo da USA Filmes não investir numa maior qualidade dos DVDs (como em Dragon Ball por exemplo), incluindo mais episódios por disco, áudio original, legendas e extras? Esse tipo de material é o que torna o produto com características de colecionável. Ou a USA está apenas voltada para o mercado de locação?

ALEX – A qualidade dos DVDs que a USA Filmes vem lançando, depende única e exclusivamente do estado e conteúdos presentes nas matrizes, que nos são entregues. A nossa busca é oferecer ao mercado DVDs com o máximo de riqueza de conteúdos.

BJC – Por fim, você poderia confirmar o lançamento de Caverna do Dragão em DVD no Brasil pela USA Filmes? Como serão as edições em termos de áudio, imagem e embalagem? Podemos esperar um produto colecionável?

ALEX – Caverna do Dragão já foi adquirida pela USA Filmes, porém ainda não chegaram as matrizes, assim sendo, não sabemos as reais condições das mesmas.

[ad#sub550]

[ad#glad_sub550]