Os crimes da Imagem “Mutilada” Filmes

119
1466

img_03

A Imagem Filmes usou e abusou do Fullscreen em seus DVDs há alguns anos, como em Pânico 2 e 3, O Talentoso Ripley, Tentação Fatal, Rejeitados pelo Diabo, Preciosa, e mais uma infinidade de títulos! Hoje, a produtora substituiu o Fullscreen pelo Widescreen Fullframe, uma outra forma de mutilação. Este fenômeno já foi escolhido pelos leitores do BJC como o maior crime que uma empresa de home video pode praticar em seus produtos:

Além do tema que trataremos neste post, não se esqueça das aberrações que esta produtora pratica em suas capas:

Em geral, comprar um título da Imagem Filmes (DVD ou Blu-ray) e ler na contra capa Widescreen, provavelmente significa que o aspecto de tela será 1.78 ou 1.85, independente do aspecto original do filme. São raros os casos em que o aspecto original é respeitado (No momento, só me recordo dos Blu-rays de Kill Bill e 1408, e claro, os filmes que possuem originalmente aspecto 1.78 ou 1.85).

Para quem não conhece muito bem os formatos de tela, Widescreen Fullframe é aquela imagem que preenche totalmente uma TV Widescreen, enquanto formatos como 2.35 e 2.40 apresentam tarjas pretas na parte superior e inferior da TV.

Nosso amigo e colaborador do BJC, Felipe Fonseca, fez um excelente post em seu site mostrando os formatos de tela mais utilizados nos filmes (obrigado Felipe por ceder as imagens). Confira para entender os formatos:

1.33:1 (Numa TV de tubo 4:3, ocupa a tela toda)

asp_1.33

1.66:1

asp_1.66

1.78:1 (Numa TV wide 16:9, ocupa a tela toda)

asp_1.78

1.85:1

asp_1.85

2.35:1

asp_2.35

Existem várias formas que um cineasta pode rodar seu filme (vamos focar apenas o caso da Imagem Filmes), uma delas é o formato soft matting, que expõe toda a área da película ao filmar. E então o diretor define o formato que será lançado nos cinemas, ou seja, é este o formato que o diretor escolheu para o seu filme. Veja a imagem abaixo como exemplo: o cenário representa toda a área da filmagem, e em destaque os formatos de tela mostrando a área que cada um irá cobrir.

Obs: A imagem abaixo é apenas um exemplo para ilustrar a situação. Os tamanhos dos formatos de tela são aproximados.

exemplo_08

O que a Imagem Filmes faz: caso o filme tenha aspecto de tela original superior a 1.85, a produtora solicita a “versão 1.78 ou 1.85” , para que preencha toda a tela de uma TV Widescreen e elimine as “tarjas pretas”. Com esta adaptação, o filme perde as características técnicas originais, além de perdemos imagem nas laterais.

E então a pergunta que muitas pessoas fazem: “mas se podem fazer versões com outros formatos, por que vocês estão reclamando?”. Simplesmente porque este não é o formato original do filme! Além disso, com o formato de tela diferente do original, muitas vezes “vazam” no filme alguns elementos indesejáveis. As imagens abaixo são versões Fullscreen de obras cujo formato original é Widescreen:

exemplo_04

O rapaz está tomando banho… de calças??? Na versão Widescreen, as calças do rapaz não aparecem na imagem.


exemplo_05

O que é aquilo? Um disco voador? Não, é apenas um microfone que não deveria estar ali, na verdade ele não está na versão Widescreen!

Confira as capturas comparativas do filme “A Epidemia”, cujo aspecto de tela original é 2.40 e que a Imagem Filmes mutilou para 1.78.

* As capturas do Blu-ray americano (formato original) são do site Blu-ray.com

cap_02_bd

Captura 1 – Formato original

cap_04_dvd

Captura 1 – Mutilado (Imagem Filmes)

cap_04_bd

Captura 2 – Formato original

cap_02_dvd

Captura 2 – Mutilado (Imagem Filmes)

cap_03_bd

Captura 3 – Formato original

cap_03_dvd

Captura 3 – Mutilado (Imagem Filmes)

É preciso conscientizar as pessoas da importância em manter o formato de tela original, aquele que foi concebido pelo diretor e assim exibido nos cinemas. Embora algumas pessoas defendam esta adaptação pelo fato de “ganharmos” imagem nas partes superior e inferior (ao mesmo tempo perdemos imagem nas laterais), é preciso deixar claro que este não é o formato original, e isso faz com o que produto perca qualidade, tornando-o uma adaptação da obra original. Entenda que mutilação, é qualquer atitude ou artifício que altere o formato ORIGINAL do filme.

Já reclamamos com a produtora e a resposta que obtivemos é de que “o formato utilizado foi aprovado pelo diretor e blá blá blá”. NADA justifica alterar o formato de tela original! O filme não foi realizado desta forma, ele não foi exibido assim nos cinemas, por que a produtora se vê no direito de alterar o aspecto de tela?

Outro problema é que a Imagem Filmes não informa na contra capa qual o aspecto de tela do filme, limitando-se a colocar apenas Widescreen. Desta forma, você compra o título totalmente às cegas.

Com base em alguns títulos recentes da Imagem Filmes que eu possuo, e também com ajuda das análises do nosso parceiro DVD Magazine, segue uma lista de alguns filmes que estão com aspecto de tela incorreto (pelo fato da produtora não informar o aspecto na capa, fica inviável fazer uma lista com todos os títulos). Todos os títulos abaixo, em sua edição nacional, possuem aspecto 1.78 ou 1.85:

  • A Epidemia (original 2.40)
  • A Ilha dos Mortos (original 2.35)
  • As Coisas Impossíveis do Amor (original 2.35)
  • Carga Explosiva 3 (original 2.35)
  • Código de Conduta (original 2.40)
  • Contatos de 4º Grau (original 2.35)
  • Dália Negra (original 2.35)
  • Entre Irmãos (original 2.35)
  • Os Homens que não Amavam as Mulheres (original 2.35)
  • Pandorum (original 2.35)
  • Par Perfeito (original 2.40)
  • Piranha (original 2.35)

Você pode manifestar sua insatisfação com os produtos da Imagem Filmes através do Twitter da produtora (@ImagemFilmesBR), ou então pelo formulário de contato do site oficial.

Já está provada a força que nós colecionadores temos! Através de protestos, boicotes e mensagens de descontentamento, já conquistamos e ajudamos a mudar muita coisa no mercado de home vídeo nacional. Por respeito ao nosso dinheiro, aos produtos que adquirimos para nossa coleção e contra as desprezíveis atitudes de algumas produtoras… a luta continua!

img_01

Fontes: DVD Talk, Klutzny e HowStuffWorks.


[ad#amz-terror1]

119 COMENTÁRIOS

  1. O Twitter não está abrindo nada, senão eu ia dar uma esculachada nesse povo!
    É a velha política de tomar como base o público equivocado na hora de elaborar o produto, aquele zé povinho que acha que se o filme não tá igual na grobo, tá com defeito.

  2. Excelente matéria.

    Mas sabe qual é o problema?

    A falta de informação e teimosia do espectador.

    Por exemplo, tenho um amigo que comprou uma tv widescreen, mas vive reclamando das tarjas pretas em filmes com aspecto maior que 1.85:1.
    Já o informei de diversas maneiras sobre o assunto (inclusive com matérias do BJC). Claro que ele percebeu melhor a questão do formato original, mas continua teimando que os filmes deveriam preencher toda a tela de sua tv, sem ter que dar zoom ou coisa do gênero.

    Analisem comigo: no caso deste meu amigo, trata-se de uma pessoa instruída, bem-informada, de bom senso e que também coleciona dvds, games, blu-rays.

    Agora imaginem o que acontece quando uma pessoa sem a menor informação e sem o menor discernimento sobre este assunto compra uma tv widescreen e percebe as tarjas pretas na tela?
    Para essas pessoas, existe a Imagem Filmes, infelizmente.

    • Pior que eu cai nessa no começo, quando comprei minha tv Full HD. Os primeiros filmes que passei eram 1.85:1, mas daí pus um com aspecto maior e fiquei achando que tinha alguma configuração errada na TV. Foi só procurando na net que me dei conta que muitos filmes eram 2.40:1 ou 2.35:1. Realmente o maior problema é a falta de informação. Informação sobre em qual aspecto um filme foi filmado, qual o aspecto melhor para as tvs atuais e como é essa diferença de imagens.

      Infelizmente isso é algo que aparece mais em sites, revistas e blogs especializados e não são todos que leem dessas fontes, preferindo o achismo que tem algo de errado. De fato, tem. A mentalidade das pessoas que não procuram informações antes de assumir algo.

    • Questão de lógica, eu acho q os filmes qdo saem versão home deveriam preencher sim toda a tela da tv. Vc tem uma tv e boa parte dela serve para exibir duas faixas pretas? Não faz sentido

      Não estou falando de mutilar mas ajustar o formato de cinema para o formato de tv widescreen sem perda de nada qdo filme chega ao mercado de home video

      • Ajustar sem mutilar nada????
        ahh já sei. pega a imagem 2:40 e estica ela numa tv wide.
        boa solução, a imagem não vai fica mutilada, só distorcida.
        afff

  3. Acho dificil ensinar novatos quanto aos formatos de tela. Mesmo explicando, passando boas matérias, eles parecem achar que tem algo de errado. Sou meio purista quando a imagem original, gosto de ver aquilo que o diretor quis filmar sem mais nem menos.

    Ou seja, em cinema na casa dos outros estou sempre arrumando as configurações antes nos dvds e tv porque sempre deixam errada, com zoom, as vezes até esticando o wide dando aquele formato achado. Vc explica, a pessoa diz, puxa, é verdade, mas continua acostumada assim.

    • Realmente é difícil explicar. Nem insisto em falar pro meu pai que é melhor ver um programa 4×3 na TV wide com as tarjas do que esticado, ainda mais porque você perde qualidade e, ainda, os elementos ficam deformados, mas falar, nesse caso, é inútil.

  4. E nossa, a Imagem afundou o filme todo da Epidemia hein? Tá multilado, com foto de outro filme. O que falta? Erro na legenda?

    • as legendas deles sempre tem erros, mas são mais de tradução. para eles "fuck" significa "droga". ou nem significa nada, visto que eles ignoram na maioria das vezes.

      • Nesse caso seria de se ver se eles tem alguma cláusula para censura de palavras. Não é qualquer filme que traduzem gírias e palavrões, preferindo colocar palavras que expressam sentimentos parecidos. É uma mentalidade de censura um tanto quanto antiquada, pois palavrões existem em qualquer lugar e filmes mais pesados, já não seriam passados para crianças, portanto sem problemas de uma tradução mais fiél.

        • pensei muito nisso quando vi o boogie nights. não entendi o por que das legendas não terem nenhum palavrão.. pô vê o nipe do filme, não importa quantos palavrões tenham nele isso nunca ia aumentar a censura tendo em vista o tema e conteúdo do filme

  5. Otimo post, Brunão!

    Essa briga é velha e infelizmente parece que nós nunca conseguimos ganhar.
    Sempre compro essa briga e boicoto titulos mutilados; só que com a esperteza da Imagem fica mais dificil saber se está mutilado antes de comprar.

    E concordo com a amigo Cidraman, a falta de informação é cruel! Já tentei tantas vezes explicar pra alguns conhecido o pq das barras pretas, mas sem sucesso. Desisti e deixo o povo assistir filme com zoon (argh).

    Mas enfim, email neles!!

  6. A Imagem Filmes e a Europa Filmes são as maiores enganadoras do Brasil – e mais perigosas que a Continental, pois dão ares de serem empresas competentes, haja vista a boa apresentação de seus produtos nas lojas. Mas por dentro, tendem a ser podres…

  7. se o formato 1.78:1 tivesse sido aprovado pelo diretor ele teria filmado o filme nesse formato.

    aprovado pelo diretor é o meu %&*#@$% viu ô imagem filmes?

  8. A palavra "crime" é muito forte para usar nesse tipo de protesto. Imagina pra quem é de lá e ouvir que está "cometendo um crime". Protesto contra uma coisa mal feita por alguém é uma coisa. Acusação de crime é uma outra coisa muito mais grave.

    Tome cuidado com as palavras. Elas têm poder!

    • Tens toda a razão.

      Mesmo com as mancadas da Imagem Filmes, é uma tremenda irresponsabilidade do autor, do revisor e inclusive do próprio blog publicarem uma difamação nesse grau. Se eu fosse dono de tal empresa, enfiava-lhes um processo nas ventas.

      • Então, cara. Tive aula de Direito ano passado e me deu uma visão muito boa do que é essa área. Nós, como leitores, pelo menos, estamos avisando sobre o risco.

  9. Eu odeio mutilações. De qualquer tipo. Ou, o que eu acho pior, quando tentam ajustar o formato de um filme para outro que fique preenchido, que nem no caso de A Epidemia. Eles tem que pensar que isso, além de deformar a imagem, vai reduzir a qualidade, porque você vai estar esticando os pixels e, com isso, perdendo qualidade (sim, eu vi os vídeos do Sócio :P). E nem só por isso. O que custa ver tarjas pretas se você vai ver mais detalhes? Por isso eu acho o widescreen fantástico e quem pensou em fazer ele um gênio: a maioria dos detalhes ficam nas laterais, então porque não ampliar as laterais? Perfeito. Adoro ver TRON legacy, por exemplo, por causa disso. Seria IMPOSSÍVEL fazerem um filme daqueles para 4×3. Iria ficar horrível. Mas se a maioria das pessoas não gosta de tarjas, faça uma parte do BD ou um encarte exclarecendo sobre a diferença de formatos e o porque preservar a imagem original e falar pra ela que dá pra ela mudar as configurações do seu BDP para encher a tela, é só ler no manual (coisa que nem mesmo os leigos fazem).

  10. Ficou muito bom o post Bruno!!!
    A Imagem tá insistindo no erro a muito tempo. Está com mentalidade de mercado bem atrasada!
    Já passou da hora de respeitar os consumidores vendendo o produto do jeito que ele realmente é!
    Se você comprar bolo que foi feito sem açúcar fica igual, mas completamente diferente. É a mesma coisa.

  11. Putz. Pior que Pandorum foi um dos últimos BDs que comprei na semana passada. Agora vou dar uma olhada, pois tenho alguns da ImARGHem. Que zica. Sempre que começo a ver mais uma razão para parar de importar BDs e optar pelos nacionais, acontece uma coisa dessas que me faz continuar preferindo importar.

    E detalhe maior… além de mutilado, Pandorum vem limado de extras. Outra coisa que me deixou fulo.

  12. Alguém sabe dizer se "O Fabuloso Destino de Amélie Poulain" é multilado? No Blu-Ray.com diz que o aspecto de tela original é 2.39:1. E o do BD nacional, alguém pode confirmar?

    • Tenho o dvd e ele parece está ok,diz tela 2.35 widescreen anamórfico 16:9.Pelo que observei na descrição de algumas lojas online, manteem esse aspecto,apesar de não descrever literalmente.

  13. Bem, no exemplo "do cara tomando banho de calça", de algum lugar veio essa matriz, não dá pra Imagem Filmes conseguir essa façanha por mágica. Não era o caso de sabermos de onde tiraram isso e esculachar quem deixou isso ser distribuído? Eu não entendo muito dos pormenores da indústria mas não é muito relaxo deixar que uma matriz "não finalizada" ou coisa assim seja distribuída?

  14. Se notarmos as comparações das imagens do filme A Epidemia postadas aqui, as imagens "mutiladas" da versão nacional perdem os cantos dos filme, mas "ganham" imagens em cima e em baixo, então não vejo porque chamá-las de mutiladas. Além disso os filmes que preenchem toda a tela 16:9 ficam muto mais bonitos do que os com as infames "tarjas pretas", então eu apóio o serviço da Imagem Filmes. O problema deles é sim a ausênca de extras em seus blu-rays.
    Claro que essa é apenas minha opinião.

    • Vc leu o post inteiro?
      O que está em questão não é se a imagem fica melhor assim ou não, a gravidade do ato está em modificar o aspecto original do filme, aquele que o diretor escolheu para sua obra! Não é a produtora que decide se fica melhor sem as tarjas, é um tremendo desrespeito com o diretor do filme! As edições da Imagem Filmes são simples adapatações da obra original, sendo assim, nunca teremos o filme da forma em que o diretor concebeu, e sim da forma que a Imagem Filmes achou melhor.

      • Cara, concordo com o jessocarvalho. Concordo também com o fato de se estar modificando algo em relação ao que foi exibido originalmente (leia-se nos cinemas), e não gosto disso. Mas nesse caso, pelo que pude notar, trata-se de registros existentes na produtora. Não creio que o diretor escolha formato do filme, ele filma conforme os recursos que dispõe, conforme padrões existentes. Ele pode escolher um corte depois, mas não adianta ele escolher um corte que seja redondo, por exemplo, se não há onde exibi-lo. E mesmo que ele filme com uma câmera de enquadramento redondo, para depois cortar para 16:9, ele deve estar ciente que a produtora pode resolver exibir o material original. De qualquer forma, não saímos do terreno das conjecturas, pois nunca vi um diretor explicitar qualquer insatisfação que não aquelas relacionadas a cortes de trechos ou cenas inteiras (censura, por exempo). Em resumo, ele pode enquadrar as cenas em função do corte final, mas não justifica calças no chuveiro ou microfones aparentes em material que pode ser vendido pela produtora. Isso não é um demérito da Imagem Filmes, e sim da produção em si.

        • Pode ter certeza que é o diretor, sim, quem escolhe o formato, e não é nada aleatório. A mais importante tarefa do diretor é escolher como vai filmar, posição de câmera, enquadramento. Todas as escolhas, em um filme, um bom, pelo menos, são pensadas. E é um imenso desrespeito que o trabalho da equipe toda seja descartado assim. Um objeto mísero objeto que fique fora do quadro, pode saber, exigiu trabalho, às vezes imenso, para aparecer lá. Eu reconheço um filme mutilado sem nem olhar a caxinha, simplesmente porque a imagem fica feia, os enquadramentos perdem o equilíbro. E sei garanto que os cineastas detestam os cortes, inclusive feitos para exibição em televisão.

        • Pode ter certeza que é o diretor, sim, quem escolhe o formato, e não é nada aleatório. A mais importante tarefa do diretor é escolher como vai filmar, posição de câmera, enquadramento. Todas as escolhas, em um filme, um bom, pelo menos, são pensadas. E é um imenso desrespeito que o trabalho da equipe toda seja descartado assim. Um mísero objeto que seja cortado quadro, pode saber, exigiu trabalho, às vezes imenso, para aparecer lá. Eu reconheço um filme mutilado só de olhar, simplesmente porque fica feio, esteticamente, os enquadramentos perdem o equilíbro e o sentido, muitas vezes. E sei garanto que os cineastas detestam os cortes, inclusive feitos para exibição em televisão.

          • Concordo… dizer que o diretor não ecolhe o aspect ratio de sua obra é a mesma coisa que afirmar que um pintor não escolhe as cores de suas pinturas!

  15. RECOMENDADO:
    O Blu-Ray do filme A CAIXA, lançado pela Imagem Filmes, possui os mesmos extras da versão americana, todos devidamente legendados em português, além de que o filme vêm no seu aspceto original 2:40.
    Um milagre em se tratando da Imagem Filmes. Fica aqui a recomendação.

  16. Po! e eu estava querendo comprar 'OS HOMENS QUE NAO AMAVAM AS MULHERES' e os dois seguintes da trilogia Millenium!!! Mas mutilado? não roda. Confinuarei com meus mkvs 720p mesmo…

  17. Ah, um filme da imagem que mantem o aspeto original é EM BUSCA DA TERRA DO NUNCA, que outrora tinha sido mutilado em DVD para 4×3.

  18. Com o advento do blu-ray, eu tinha certeza que os problemas de tela mutilada seriam coisa do passado, mas como sempre subestimamos as distribuidoras nacionais que f***** tudo em que colocam a mão, conseguindo ir ainda mais longe no surreal caso do blu-ray do filme O Escafandro e a Borboleta que foi transformado de 1:85:1 para 2:35:1 (é pra rir ou chorar)…da iBagem só tenho os Kill Bill pq tive certeza que o formato de tela era o correto, não adianta, aqui pra comprar tem que pesquisar direito senão dança.

  19. Esse tipo de atitude por parte das distribuidoras, é para alcançar um publico maior, mas com isso, prejudica o publico que deveria ser seu principal foco. Uma pena!!

  20. Blz de post! Além de alguns sites como Bluray.com,onde mais podemos ter acesso às informações dos filmes que desejarmos?Alguém poderia listar ?

  21. Esqueci de mencionar: ai diz que kil Bill tem aspecto 1.78,mas no Bluray.com diz que é 2.40:1 tanto o volume 1 quanto o dois!!!E ae que fontes são realmente confiáveis?

  22. O melhor formato, na minha opinião, é o "WIDESCREEN ANAMÓRFICO". Ele é um formato que ocupa a tela inteira da minha TV widescreen, eliminando as malditas faixas pretas abaixo e acima da imagem, sem perda de qualidade! Acho que fica até melhor! Detesto também as amaldiçoadas faixas pretas à esquerda e à direita da imagem. O WIDESCREEN ANAMÓRFICO resolve os dois problemas exibindo o filme do jeito que foi feito para ser assistido EM UMA TV: preenchendo toda a tela. Afinal, para que comprar uma TV de tela grande e comprida se não se vai utilizar toda a tela????? Ora bolas! Notem que estamos falando de exibição EM CASA, HOME VIDEO e não em CINEMA… no cinema a situação é bem diferente. Se alguém quer cinema em casa, basta comprar todo o equipamento inclusive o projetor e os rolos de película, além da tela de 500 polegadas.

    • E dane-se a fotografia e a concepção de uma obra de arte para atender seu capricho de preencher a tela inteira.

      Não gosta das trajas pretas? APAGUE A LUZ DA SALA.

      Pqp, como eu queria negativar ainda mais o seu perfil.

      • Caro Jotacê, primeiramente quero dizer que sou seu fã e que adoro este blog! Agora sejamos honestos, é ou não é melhor tirar o máximo proveito de uma experiência cinematográfica proporcionada por uma LED TV 3D de última geração com filmes que preenchem toda a tela? Sim, estou falando de entretenimento! That's what home video is all about. Serve para apreciar arte? Serve. Mas nunca foi a principal proposta da indústria, hás de convir. Talvez por isso vocês detestem tanto e falem sempre tão mal da indústria. O que eu disse foi que o melhor formato é o widescreen anamórfico para esse fim. Apagar a luz não tira as faixas. O zoom deforma a imagem. Aliás, pelo que eu entendi, a mutilação ocorre nas laterais ou no topo e fundo da imagen, mas sempre ocorre. Só precisamos decidir se queremos sacrificar as laterais ou as partes de cima e baixo da tela. Até mesmo o diretor quando resolve ocultar o fundo comete mutilaçâo. Por que não é possível ver toda a área gravada? Me negativar é falta de respeito à opinião alheia.

        • Você segue sendo egoísta e pensando só na SUA TV e na SUA maneira de encarar o fato, que é errada.

          Lamentável.

    • Caraca, o Jotacê ficou uma fera.
      Infelizmente tem gente que considera filme apenas um meio de entretenimento, e não uma manifestação artística (em outras palavras, arte). Para essas pessoas acredito que não importa como o filme foi feito, se a cronologia (se for uma sequencia) foi respeitada, se os itens históricos utilizados estão na época certa, etc, somente importa se assistiu e se divertiu. Para esses, realmente a tela cheia é melhor, pouco importa para eles saber como o diretor idealizou aquela cena, ou ver algo cortado se isso não comprometer a história.
      O cinema para mim é uma arte, e eu prefiro com certeza ver a versão original em casa do que uma versão mutilada. Mas para a grande maioria é uma simples forma de entretenimento, a qual se não tiver modificação da história, podem até pintar o filme. Acredito que se fizessem uma versão colorida de a A lista de schindler muita gente (não fãns de cinema) iriam preferir essa versão.
      "Minta tv é colorida, para que assitir um filme em preto e branco."

      • Exatamente, Lauro. Muitos, como eu, até apreciam o valor artístico dos filmes, mas não são tão radicais. Agora cá entre nós, a função primordial dos filmes é sim entreter. Esta é a característica dos filmes que financia a produção de mais filmes e supporta a indústria como um todo. Sem ela, não haveria mais grandes produções… por mais que possa ser usado com fim artístico, o que faz um filme vender mesmo é o fato de ser bom entretenimento e as pessoas pagarem para assistir no cinema e depois para terem em suas casas para ver e rever quantas vezes quiserem. Os intelectuais e ditos amantes da arte que me perdoem…

    • Essa é um coisa complicada, entendo perfeitamente o que vc diz, tanto que quando comecei a colecionar, também preferia sem as telas, mas isso vc pega com o tempo, vai chegar um momento que vc ira, perceber que é muito melhor, ver toda a imagem que o diretor disponibilizou, e enxergar as faixas, do que não ter as faixas, e as imagens serem "cortadas"

      • Muito complicada mesmo. CINEMA é CINEMA, HOME VIDEO é HOME VIDEO. Impossível equiparar os dois. Simplesmente não se compara. É uma utopia achar que se pode ter a mesma qualidade em casa (sem transformá-la, é claro, num verdadeiro cinema).

    • Tem gente que prefere da mesma forma que você mesmo… É questão de gosto. Eu prefiro enxergar tudo que o diretor quis filmar com a câmera, sem perder conteúdo lateral, e por isso as barras não me incomodam tanto. Até porque logo que começo a assistir o filme, nem reparo mais nelas.

      Mas se a pessoa se incomoda bastante com elas, o melhor é um método que fique em tela cheia mesmo. Principalmente se o televisor não é muito grande.

      • Ah claro, porque o conteúdo lateral é mais importante que o superior e inferior. Pura hipocrisia… vai perder imagem do mesmo jeito!

        • Caramba, cara, entenda uma coisa: as barras em cima e embaixo NÃO SÃO PARA COBRIR IMAGEM. Elas estão lá porque justamente o formato de tela do filme difere do formato de sua TV. Então, para não deformar a imagem (ou mutilar), coloca-se a imagem entre duas barras pretas. Afinal, esse é o único jeito de colocar um retângulo mais largo dentro de um mais curto sem alterações nas proporções. Deu pra entender agora?

          • É incrível a capacidade de uma pessoa ficar insistindo numa burrice, baseado em um conhecimento que ela não tem.

            Deixa ele pra lá Raphael, ele não vai entender nunca.

  23. E ah, não esqueça de reformar sua sala de estar e instalar cadeiras mais confortáveis. Aí sim não vai ter a dita mutilação, que na verdade é uma adaptação! O fato de lançar películas em Blu-ray por si só já é uma mutilação. Já existe essa "mutilação". Existem boas e ruins "mutilações", mas no fim é tudo mutilado. E não falo só de cinema. Tudo é adaptado nessa vida. Para atender ao público que quer assistir a filmes em casa e em suas TVs widescreen, deve-se poder usufruir de todos os benefícios: imagem em alta definição, áudio em alta definição e para o máximo potencial da TV: imagem que preenche toda a tela!!!!!! Os filmes que passam na Globo HD, Band HD, SBT HD e Record HD têm imagens melhores que as de TODOS os Blu-rays com as malditas faixas acima e abaixo! Que contradição! Fico com muita raiva quando constato isso!

    • Aff! É difícil ver e ler tanta bobagem. É, infelizmente gosto é que nem braço, tem gente que não tem! Aperte a tecla ZOOM da sua TV e seja feliz!

    • Até concordo que no final das contas seja tudo mutilação, mas isto não é desculpa pra generalizar, chutar o probema morro abaixo e fazer a coisa mal feita. Isto é nivelar por baixo.
      Por enquanto ainda pode ser impossível transferir uma obra cinematográfica para o home video sem perdas, mas se é possível minimizá-las pra tornar o filme em mídia digital o mais próximo possível do original, não há razão pra que isto não seja feito.

      • Não conseguiria concordar mais! Agora ficar batendo o pé como uma criança que pede um doce é muito deprimente. Aí voltamos à questão do aspecto… widescreen anamórfico, a meu ver, mantém o máximo do original sem cometer o pecado de negligenciar cada polegada de uma TV com tela gigante!

    • Acho que ele diz isso porque não viu um filme em 2.75:1 (Ben-Hur, por exemplo) "adaptado" pra TVs 16:9, quanto mais pra 4:3.

    • sem xingar ninguem, é questão de gosto mesmo (bom ou mau, JC).

      eu gosto de ter o formato original. não importa qual seja. se for 2.40 e ficar com as faixas, ok, não tem problema. se for 4:3 como "E o vento levou" tb sem problemas.

      se vc não gosta das faixas, é só dar zoom.

      o problema é tirar mundo do seu umbigo. lance com o formato original que todo mundo tem como ajustar pra ver como gosta. lance "mutilado" que isso não acontece …

      nem é tão complicado assim …

  24. po vcs chamam de imagem mutilada. mas eu prefiro aquela que cabe certinho num TV wide. A imagem que vcs defendem como NÃO MUTILADA corta um pedaço dela na vertical. Prefiro que corte na horizontal mesmo e caiba na mnha tv hehehehe

    • Para isso as TV's e BD players vem com função para isso, basta apertar um botão no controle remoto.
      Então o correto é vir no formato original e cada um faz a adaptação (ou mutilação) que quizer na hora de assistir e não tirar essa opção do consumidor.

      • como so acrescenta? presta atenção e vc vai ver como a imagem original (nao mutilada) corta parte da imagem na vertical. na wide tem mais campo de visao, prefiro que corte onde tem mais pra cortar

    • Exatamente. Vai entender… é escolher entre perder na vertical ou na horizontal! Belos colecionadores artísticos que temos…

      • veja o que escrevi acima. no formato original NADA se perde … é o ORIGINAL. em outros formatos diferentes deste sim, se perde algo.

  25. Com o perdão da brincadeira, mas quer ver filme sem faixa preta vai ver na Grobo!
    A função essencial do home video é trazer a experiência o mais próximo possível do cinema. É evidente que há uma barreira imensa, ainda temos que percorrer um longo caminho até chegar no dia em que um filme em película, que é seu substrato original, será transferido para uma mídia digital e exibido em algum equipamento doméstico em sua plena integridade.

  26. O que você chama de adaptação eu chamo de porqueira, falta de informação, descaso e preconceito (não de sua parte ok, mas das distribuidoras, não estou aqui pra tentar ofender ninguém!).
    Acredito que há alguns casos raríssimos em que uma distribuidora faz tais alterações em um filme com intenções artísticas. Entretanto, é mais do que sabido que em 99,9% dos casos a mutilação é feita para economizar – economia porca por sinal – e por conta de um preconceito entranhado na mentalidade destas empresas de que o brasileiro é um zé povinho boçal e anestesiado que não sabe que o filme feito para o formato de TV está quase sempre decepado, incorreto, e que ninguém vai comprar o filme se ele não for igual ao da Tela Quente!
    O problema é que a cultura empresarial que vige nesse país é a de nivelar por baixo. "O povo gosta de lixo, então vamos dar lixo ao povo", eles pensam!

  27. E por último, tente se lembrar que, quem não gosta de tarjas pretas pode dar zoom na TV ou no player até chegar no formato que preenche toda a tela (mais uma vez, as distribuidoras creem que o brasileiro é cognitivamente incapaz de fazer isso!), mas o contrário – recuperar a imagem decepada com algum recurso do palyer ou da TV – é impossível. Por conseguinte, o filme em seu formato de tela correto tem chance de agradar a todos.
    A pessoa que vê filme por ver, como mero passatempo, creio que não venha ao caso nesta polêmica que estamos levantando aqui. Mas no caso de quem realmente gosta de cinema e filmes, que é o nosso caso, não consigo mesmo compreender como alguém pode ver um filme e não se incomodar com a extirpação de uma parte que lhe é original e, portanto, esteticamente indispensável.

    • Não tenha um complexo de inferioridade. Ninguém acha isso. O brasileiro é muito inteligente. O ZOOM? Esse sim mutila e deforma a imagem. E o que diz você sobre ganhar na horizontal e perder na vertical? Uma é mais artística que a outra?

      • Duas coisas: não desloque a discussão pro pessoal, não tenho complexo nenhum, falei de uma mentalidade institucional. Na maioria dos casos as empresas fazem DVDs pra cativar aquele público que vê Zorra Total e compra DVD pirata, e não pra colecionadores de DVD e amantes de cinema, que são minoria.
        E outra, não sei que negócio é esse que você diz de perder na vertical, explica melhor. Se está falando de perda de imagem no aspecto original do filme, isto é um contrasenso, já fiz o teste com muitos filmes e não vi isso. Você não tá falando de algum caso específico, luiz?
        E só pra lembrar, não estamos falando de mim nem de você, estamos falando de imagens mutiladas ok.

        • Ok… estou falando da matéria acima… no suposto "mutilado" dá para ver o homem de cueca tomando banho, as pernas do casal sentado à mesa e as calças dos homens no barco. Em todos os casos, até os mais louvados pelos amantes da arte, existe essa perda. É só uma questão de escolher em qual área quer perder imagem.

  28. Luiz, antes de mais nada, pelo seu comentário, não há nenhum problema em adaptar até mesmo seu nome, para Lu, portanto.

    Teorizarei a respeito, agora. Aquilo que se conceitua normalmente como arte, um objeto artistico, seja uma pintura, um filme, uma música, elege-o dessa maneira, dentre outros motivos, a partir de como ele foi concebido, sem mudanças estruturais. Assim como seria grotesco assistirmos uma peça de teatro cujo ultimo ato tenha sido limado por vontade de seu encenador, ou um quadro famoso que foi cerrado ao meio porque dois museus desejavam a peça, um filme multilado de sua proposta inicial é tão aberrante quanto as duas comparações anteriores.

    Então, eis a questão. Porque em outros tipos de arte a preservação do todo da obra é mais válida do que para o cinema? Porque é, em tese, uma arte mais popular e de acesso maior? Bobagem. Alguém concebeu o filme para ter tais e tais características. Muda-la é dilacerar parte de um objeto artistico, podendo até mesmo mudar seu significado, já que perde-se a intenção inicial de quem desejou filmar em widescreen ou em outro formato de tela.

    Dessa maneira, apliquei sua própria teoria ao seu comentário. Peguei seu comentário integralmente e multilei-o e adaptei-o ao meu prazer. E pude constatar que você concorda conosco.

    (“Fico com muita raiva quando constato isso! (…)Para atender ao público que quer assistir a filmes em casa e em suas TVs widescreen, deve-se poder usufruir de todos os benefícios: : imagem em alta definição, áudio em alta definição e para o máximo potencial da TV: imagem” (…) “só de cinema”.

    “Os filmes que passam na Globo HD, Band HD, SBT HD e Record HD” (…) na verdade é uma adaptação. (…), é tudo mutilado. “Fico com muita raiva quando constato isso!)

    Imagino que você não reclamará, afinal, tudo é adaptado nessa vida.

    • só pra constar Thiago, vc deveria ter mutilado o nome do Luiz para UI, cortando as laterais para encaixar na tela … hehehehehehehe

    • Caramba Thiago, não podia ter feito réplica melhor!
      Espero que o luiz leve na esportiva, até porque a função do debate não é expor ninguém ao ridículo, mas o toque de humor foi direto no ponto da discussão.

    • Bela teorização. Mas é só isso: teorização. A ruptura com a obra de arte como idealizada pelo autor acontece no momento em que é lançada em outro formato que não o de película, amigo. Logo, você é que concorda comigo que essa mudança estrutural não é problema algum, pois compra Blu-rays e DVDs. Além disso, não estamos falando da eliminação de cenas ou atos e sim de uma adaptação adicional (só mais uma além da principal, película –> mídia digital) na forma da arte (em oposição à substância da mesma) para que caiba na sua TV. Algo que foi concebido para ser exibido numa tela gigantesca de vários metros NUNCA será exibido sem um estupro do original numa TV de algumas poucas polegadas. É contra as leis da matemática e da física.

      • Não se deve confundir a ruptura de uma obra com a transposição da mesma. Retira-la de seu espaço original não é, necessariamente, limar certas partes. Tanto que o vinil popularizou a expressão Alta Fidelidade, demonstrando que mesmo fora do original o produto mantinha-se como fiel.

        Imagino só que esse conceito deveria ser aplicado integralmente aos dvds e bds. Sem dúvida alguns diretores devem imaginar seu filme somente na tela grande. Uma perda de detalhes são naturais para a televisão. Porém, a multilação não é um processo natural.

        Como mencionaram aqui, o zoom da televisão e do player podem resolver a função para os incomodados. Mas e quem não gosta de multilações? Não temos um "des-zoom".

  29. Acho que tudo se resume ao que o Vinicius falou: quem compra o DVD/BD com aspecto original e quer que o filme ocupe toda a tela, aperta o botão zoom ou equivalente e fica feliz. Quem compra o DVD/BD mutilado e quer ver o original, senta e chora.
    Só esse argumento já me é suficiente para condenar a mutilação sempre.

    • É um insulto aos amantes do bom entretenimento dizer que é só apertar a tecla zoom que resolve. Isso sim mutila e deforma, e não algo feito sob medida para tela de TV. Quer o original sem mutilação? Vá ao cinema. Não está em cartaz? Senta e chora. (Ou investe numa verdadeira sala de cinema $$$$)

      • Seguindo seu próprio raciocínio e usando seu próprio argumento, nenhum filme feito para o cinema jamais será "algo feito sob medida para tela de TV".

  30. O problema é que até os fabricantes ajudam a disseminar essas idéias. Vejam a descrição do Bluray da Samsung:

    "- Menos distrações. Tela mais cheia
    Maximize a sua experiência visual e realmente sinta a qualidade superior das imagens na tela de sua TV com o Blu-ray player. Com a função “Screen Fit”, o Blu-ray player da Samsung automaticamente converte filmes configurados com uma proporção de 21:9 em 16:9, eliminando essas faixas pretas irritantes que ocupam espaço na tela da TV. Assista aos filmes da maneira que deveriam ser assistidos – com apenas um toque na tecla “Screen Fit”. "

    Aí fica complicado!

    • que nada … aí é que está o que foi falado aí … quem quer ver ajustado aperta o botão … quem não quer não vê

      • Bem, a gente fala com tantas empresas através de redes sociais, por que não com a Samsung! Isto é uma campanha totalmente equivocada que só traz prejuízo.

    • Mas isso é ÓBVIO! Desculpem-me, mas vocês são uma minoria absoluta. O que vende (e financia a brincadeira de vocês) é o fato de as pessoas comprarem aquilo que as agrada e as entretenha! As faixas são irritantes.

  31. Como pode alguém ousar ter a opinião diferente da nossa?

    Isso é INACEITÁVEL!!! Este usuário tem que levar 5000 pontos negativos por essa ousadia!!! Como que ele vai dormir depois de ter 5000 pontos negativos no site? Acho melhor banir o ip dele pra sempre!!!

    Deve ser mesmo um caça descontos! Um imbecil, um leproso, um marginal! Não entende de arte! É um zé povão! Deve comprar na americanas!!!

    Menos galera…
    Apesar de discordar completamente da opinião (ou trollagem) do cara, eu acho que não podemos ser tão intolerantes assim.

  32. Bem, eu morreria antes de comprar qualquer produto pirata. Quanto a ter uma imagem alterada, é este o cerne da questão: já foi alterada quando transferida para mídia digital! Alterar mais ou alterar menos faz pouca diferença. Vejam bem, não estou dizendo que gosto de assistir a filmes com imagem alterada. Tem de ser o mais fiel possível ao original sem prejudicar a experiência de entretenimento, conforme disse na minha resposta ao próprio Jotacê. Se adquiro uma TV de última geração, quero tirar o máximo proveito dela. A arte do cinema se aprecia no cinema, ora bolas! Pode-se tentar aproximar a experiência no ambiente doméstico, mas ela sempre será falsa por natureza, simulada e artificial.

  33. Se o próprio diretor não está reclamando, por que diabos alguém reclamaria? Lamentável é que existam pessoas que não saibam conviver com respeito à opinião alheia, seja ela agradável ou não. É pura arrogância achar que a sua visão é a mais clara e a sua opinião a mais digna de aceitação. A propósito, minhas finanças recentemente alcançaram um nível de saúde que me permite ser, digamos assim, mais do que um caça-descontos…

    • Apenas para esclarecer uma coisa, usei o termo "caça-descontos" para me referir à alguém que busca mais o preço do que a qualidade da obra.

      Quanto ao resto, talvez eu seja de fato um intolerante. Ainda mais no que se refere à cinema. Continuo não concordando com você e achando que visões como essa fazem com que más condutas se proliferem na indústria.

    • bacana, mas quando o original for menor as faixas aparecem ao lado …

      uma TV dessas ia deixar a turma do zoom doida

  34. Turma do zoom (eu) kkkk, se bem que minha tv tem a opção de “esticar” a imagem em cima e em baixo quando o filme está em 21:9, sem cortar nada nas laterais, mas a imagem fica um pouco distorcida

  35. Pessoal tenho algumas dívidas; Como saber se o filme está no formato original? É só estar no formato 1.78:1 que significa que ele foi mutilado? Tenho DVDs e Blue Rays com formato widescreem anamórfico 1.78:1, a palavra anamórfico não significa que está original? Tenho Blue Rays como Retorno do Cavaleiro das Trevas e Tron onde as cenas mais importantes escolhidas pelo diretor onde estão no formato 1.78:1, então pela lógica de vocês esses filmes tb estão mutilados? Obrigado pela atenção

Comments are closed.