gato-lebre
Não somos otários! Eu sou muito otimista mesmo para certas coisas, porque ainda me surpreendo com a cara de pau que muitas empresas e empresários ainda têm, nos mais diversos ramos de atuação. No nosso caso específico, estou falando das empresas de home video. Nos últimos tempos, notei um crescente número de títulos, quase sempre de “produtoras” médias e pequenas, trazendo como “extras” dos seus títulos, material de EPK. Na minha visão, uma tremenda atitude de pura e simples má fé, na pior das hipóteses. Na melhor, tremenda incompetência.

Leia também:

Para começar, você pode estar se perguntando O que é EPK? É a sigla para Electronic Press Kit e consiste exatamente no que o nome descreve. Sabe aqueles spots que costumam passar nos canais a cabo, com entrevistas, alguns vídeos de bastidores, algumas cenas do filme? Pois bem, aquilo é um material de divulgação do filme, distribuído em todo o mundo. Quase sempre, por motivos óbvios, de filmes que serão lançados nos cinemas. Percebam que é um material bem simples, curto (é para a televisão), não pensado para DVDs e Blu-rays. Eles são sempre superficiais, pois a intenção é vender o filme e não entregar detalhes ou spoilers da obra, por exemplo. Ou seja, é um péssimo material para quem curte extras. Extras de verdade, claro. Fora isso, existe algo concreto que quase sempre entrega um EPK: no fim do spot, aparece a data de estreia do filme.

Pois bem, há muitas empresas nanicas colocando esse material de divulgação para cinema como os “extras” do filme. Claro, eu sou sempre a favor de mais extras. Mas certamente sou contra abrir mão dos extras produzidos especialmente para DVD e Blu-ray em prol de uma tremenda picaretagem dessas. Esse pessoal parece esquecer que vivemos (já há um bom tempo, agora) numa época em que todo mundo tem acesso a informações de todo lugar. Então basta alguns cliques para sabermos que, enquanto filmes possuem uma série de extras bacanas lá no exterior, por aqui estão nos empurrando os vídeos promocionais que assistimos nos intervalos da TNT, como extras. Faça-me o favor!

Querem saber mais? O que achariam de ter cenas do filme como “extras”? É sério, acreditem… Tem “produtora” achando que as cenas do filme que, explicando novamente, servem para passar nos intervalos dos canais de televisão para promover o lançamento, podem ser colocadas com o nome de “Clipes” como um extra em um DVD ou Blu-ray. É de morrer de rir. E chorar também, claro.

Muitos por aqui já devem ter se deparado com isso, e conto com vocês para dar nomes aos bois nos comentários. Mas não é revoltante? Saber que enquanto a maioria dos países recebe os belos documentários de bastidores, por exemplo, aqui ganhamos uma meia dúzia de entrevistas de um minuto e meio, 3 spots e um vídeo de bastidores nu e cru de cerca de 10 minutos?

Claro, essas empresas virão com o papo de que esses extras têm um custo, que por isso às vezes não os trazem para o lançamento por aqui, mas isso não é desculpa. Esse é o negócio deles! Seria a mesma coisa que um sujeito vender cachorro-quente mas não nos oferecer catchup e mostarda “porque não teve dinheiro para comprar”. Então, meu colega, mude de ramo! Porque se você se dispõe a vender algo ou prestar um serviço, tem que ser capaz de oferecê-lo e prestá-lo.

Já há muitos títulos no mercado com esse embuste e muitos outros ainda serão lançados. Cabe a nós, colecionadores e consumidores dedicados, não deixar isso barato e manifestar o nosso descontentamento e indignação. Lembrando sempre que a nossa maior arma é o bolso. É simples: não comprem.

Já discuti isso aqui anteriormente, mas é impressionante como eles não percebem que ao matar o seu diferencial como formato, acabam por abreviar ainda mais o tempo útil que a mídia física ainda possui. Estão cavando a própria cova. E se continuarem a fazê-lo dessa forma, certamente estaremos lá para ajudar com uma pá.

[ad#1-amzuktop]