RESENHA | Vingador do Futuro em Blu-ray 4K dos EUA!

Unboxing do SteelBook e resenha completa!

0
1812

Olá amigos colecionadores!

Hoje vamos trazer para vocês a nossa resenha técnica de O Vingador do Futuro (Total Recall), recém lançado em 4K UHD pela Lionsgate EUA e Studio Canal UK.

Antes de começarmos a escrever sobre os detalhes técnicos, nós gostaríamos de perguntar a vocês: para onde foram filmes como esse?

Infelizmente tenho a sensação que nunca mais teremos filmes de ficção científica iguais aos que Paul Verhoeven (Robocop, Tropas Estelares, O Vingador do Futuro) dirigiu. Uma ideia suja e muito violenta do futuro.

O Vingador do Futuro de 1990 parece ser um dos últimos suspiros dessa geração que não tinha rótulos do que deve e do que não deve ser mostrado nas telonas.

“O filme é assim e ponto!”

O filme teve o seu primeiro lançamento em Blu-ray em 2006 (chegou ao Brasil em 2010) e foi bastante criticado na época por apresentar muita granulação na imagem.

“Eles não sabem o que dizem”.

Acreditamos que muitas pessoas nessa época não sabiam que granulação é original da película de 35mm (a qual pode chegar a até 6K de resolução). E hoje, revendo essa primeira versão, percebemos quão pouca granulação ela possui em relação aos novos masters para Blu-ray e  4K UHD.

Depois tivemos o lançamento de 2012 chamado de Ultimate Rekall Edition, que também foi lançado no Brasil pela Universal.

Nessa edição, aumentaram consideravelmente os detalhes e granulação originais da película mas, por outro lado, na nossa opinião, estragaram por completo a paleta de cores.
O filme deixou de ter cores vivas e fortes, o vermelho de marte passou a ser opaco e a beleza extenuante de Sharon Stone perdeu um tanto da sua magia.

Felizmente em 2020 o Studio Canal em parceria com a Lionsgate retornam com uma nova edição de O Vingador do Futuro em 4K e com uma inédita remasterização a partir do negativo original.

Considerado por muitos como o melhor filme de Arnold Schwarzenegger, para este lançamento em 4K o filme foi digitalizado a partir da película original de 35mm e teve aprovação do HDR pelo diretor, que o descreveu como: “qualidade tridimensional”. E ele tem razão!

Antes de destrincharmos tecnicamente as edições, vamos conhecer o que vem nesse pacote SteelBook lançado pela Lionsgate nos EUA e exclusivo da loja Bestbuy. (A edição padrão com luva, e muito bonita também, é vendida pela Amazon americana).

Temos um pacote com 3 discos:

  • BD de 25GB com extras
  • BD 50GB com o filme e que também teve nova remasterização
  • 4K 100GB trazendo o filme em HDR e Dolby Vision

Os extras da edição são os seguintes:

No disco 4K:

Comentário de áudio com Arnold Schwarzenegger e Paul Verhoeven

Total Excess: How Carolco Changed Hollywood (1080p; 59:22) explorando a história do estúdio. Paul Verhoeven e Michael Douglas são apresentados.

Open Your Mind – Scoring Total Recall (1080p; 21:24) Oferece uma série de especialistas em música para filmes discutindo as contribuições de Jerry Goldsmith para o filme.

Dreamers Within the Dream: Developing Total Recall (1080p; 8:26) apresenta o artista conceitual Ron Miller que examina aspectos como o design de produção, ao mesmo tempo que entra brevemente na conexão de David Cronenberg com o projeto.

Trailer (1080p; 1:30)

Disco de Blu-ray 1:

Comentário de áudio com Arnold Schwarzenegger e Paul Verhoeven

Open Your Mind – Scoring Total Recall (1080p; 21:24)

Dreamers Within the Dream: Developing Total Recall (1080p; 8:26)

Blu-ray disco 2:

Total Excess: How Carolco Changed Hollywood (1080p; 59:22)

Total Recall: The Special Effects (1080i; 23:15) analisa o que eram efeitos de última geração na época da produção do filme.

Making Of (480i; 8:03).

 

Vamos agora comparar as três edições. Buscando as informações do BDinfo, temos:

Edição de 2006: 

Nome:          00000.MPLS

Duração:      1:53:20.794 (h:m:s.ms)

Tamanho:     23.919.777.792 bytes

Total Bitrate: 28,14 Mbps

VIDEO:

MPEG-2 Video: Bitrate médio: 22830 kbps  1080p / 23,976 fps / 16:9

AUDIO:

DTS-HD High-Res Audio  English  3039 kbps       6.1 / 48 kHz / 3039 kbps / 24-bit (DTS Core: 6.1-ES / 48 kHz / 1509 kbps / 24-bit / DN -4dB)

Dolby Digital EX Audio: English  640 kbps  5.1-EX / 48 kHz / 640 kbps / DN -4dB

 

Edição de 2012, Ultimate Recall Edition: 

Nome:          00001.MPLS

Duração:      1:53:31.125 (h:m:s.ms)

Tamanho:     28.744.200.192 bytes

Total Bitrate: 33,76 Mbps

VIDEO:

MPEG-4 AVC Video: Bitrate médio: 23998 kbps 1080p / 24 fps / 16:9 / High Profile 4.1

AUDIO:

DTS-HD Master Audio English 2157 kbps 5.1 / 48 kHz / 2157 kbps / 16-bit (DTS Core: 5.1 / 48 kHz / 1509 kbps / 16-bit)

DTS-HD Master Audio French 2123 kbps 5.1 / 48 kHz / 2123 kbps / 16-bit (DTS Core: 5.1 / 48 kHz / 1509 kbps / 16-bit)

DTS-HD Master Audio English 1001 kbps 2.0 / 48 kHz / 1001 kbps / 16-bit (DTS Core: 2.0 / 48 kHz / 768 kbps / 16-bit)

DTS-HD Master Audio German 2064 kbps 5.1 / 48 kHz / 2064 kbps / 16-bit (DTS Core: 5.1 / 48 kHz / 1509 kbps / 16-bit)

Como vocês podem ver, tivemos uma melhora significativa no tamanho do arquivo de filme, resultando no aumento da taxa média de Bitrate.

Com isso a versão de 2012 ganhou mais detalhes finos e também os grains originais ficaram mais visíveis. O que estragou, como já dissemos, foi a paleta de cores.

Na edição em 4K de 2020 temos: 

Nome:           00010.MPLS

Duração:       1:53:16.708 (h:m:s.ms)

Tamanho:      63,589,355,520 bytes

Total Bitrate: 74.85 Mbps

VIDEO:

MPEG-H HEVC Video: Bitrate médio: 53997 kbps 2160p / 24 fps / 16:9 / Main 10 Level 5.1 High / 4:2:0 / 10 bits / 1000nits / HDR10 / BT.2020

MPEG-H HEVC Video: 3113 kbps (5.45%)   1080p / 24 fps / 16:9 / Main 10 Level 5.1 High / 4:2:0 / 10 bits / 1000nits / Dolby Vision FEL / BT.2020

AUDIO:

Dolby TrueHD/Atmos Audio English  3848 kbps 7.1+11 objects / 48 kHz / 3464 kbps / 24-bit (AC3 Core: 5.1-EX / 48 kHz / 384 kbps)

DTS Audio English 768 kbps 2.0 / 48 kHz / 768 kbps / 24-bit

DTS-HD Master Audio French 2231 kbps 5.1 / 48 kHz / 2231 kbps / 16-bit (DTS Core: 5.1 / 48 kHz / 1509 kbps / 16-bit)

DTS-HD Master Audio German 2388 kbps 5.1 / 48 kHz / 2388 kbps / 16-bit (DTS Core: 5.1 / 48 kHz / 1509 kbps / 16-bit)

LPCM Audio German 2304 kbps 2.0 / 48 kHz / 2304 kbps / 24-bit

DTS Audio English 256 kbps 2.0 / 48 kHz / 256 kbps / 24-bit

DTS Audio Spanish 768 kbps 2.0 / 48 kHz / 768 kbps / 24-bit

O BDinfo confirma que tivemos nova remasterização e apresenta também novas faixas de áudio. Agora temos Dolby Atmos dando uma nova vida sonora ao filme.

Mas infelizmente não temos opções em Português.

Apesar de parecer tudo perfeito no papel, ao assistirmos o filme com olhos técnicos percebemos a pixelização presente na autoração do filme.

Autorar é diferente de remasterizar.

Remasterizar é criar uma nova máster a partir do negativo da película. É fazer um novo processo de coloração, extraindo informações preciosas do rolo do filme. A partir desses dados a máster é feita para ser gravada na mídia física.

Autorar é o processo final onde essa máster é convertida e comprimida para mídia física, com os acréscimos de áudios, legendas e menus animados.

Ainda que não seja uma autoração perfeita, o saldo é bastante positivo.

Tivemos várias melhorias em relação às edições anteriores como também o diretor Paul Verhoeven supervisionando a nova paleta de cores em HDR.

A pixelização que acreditamos ter ocorrido no processo de autoração final não é presente em todo o filme.

Vale alertar que esse problema só será notado pelos aficionados em imagem como nós, Brothers. É um detalhe que de forma nenhuma estraga a experiência de assistir a mais essa obra prima do cinema, agora em 4K.

Confira no nosso novo vídeo acima, publicado no canal dos Brothers, o unboxing da edição em SteelBook da Best Buy e também nossas capturas de tela com comentários mostrando as diferenças de cada edição, assim como a pixelização presente no disco 4K.

É hora de voltar para Marte!

Edição na Amazon dos EUA
(Use Shipito para fugir do imposto antecipado)

CLIQUE AQUI