Dossiê do BJC | Vencedores de Cannes em Mídia Física no Brasil: de 2010 a 2019

Isso mesmo! O DOSSIÊ voltou!

0
984

Durante a live do Blog do Jotacê no YouTube realizada na última sexta-feira (24.09.2021), foi anunciado em primeira mão que o Fernandão da The Originals, em parceria com a Pandora Filmes, irá lançar em Blu-ray o filme sueco The Square, A Arte da Discórdia, do diretor Ruben Östlund, que venceu a Palma de Ouro em Cannes em 2017.

Na quinta-feira da mesma semana a Versátil anunciou o início da pré-venda da Coleção Nuri Bilge Ceylan em parceria com a Alpha Filmes e a Fênix Filme, com dois filmes do diretor turco, dentre eles o Sono de Inverno, que venceu o prêmio máximo do festival francês no ano de 2014.

Com isso, os dois únicos filmes vencedores da Palma de Ouro da última década, que não haviam sido lançados no Brasil em nenhum formato de mídia física, finalmente estarão disponíveis no mercado nacional.

Os anúncios coincidiram, ainda, com o início da entrega do Blu-ray nacional de Azul é a Cor Mais Quente, do diretor Abdellatif Kechiche, que faturou a Palma de 2013.

Para comemorar esses lançamentos, o Blog do Jotacê preparou uma lista com as edições brasileiras dos vencedores da Palma de Ouro da última década!

Importante lembrar que, por conta da pandemia causada pela Covid-19, o Festival de Cannes não foi realizado no ano de 2020. Além disso, o vencedor da edição deste ano, Titane, da diretora francesa Julia Ducounau, ainda permanece inédito no Brasil, mas já foi anunciado que será lançado pela plataforma Mubi. Ainda não há previsão de lançamento em mídia física, mas já estamos na torcida para que alguma parceria viabilize o lançamento o quanto antes!

PALMA DE OURO DE 2019: PARASITA

O filme sensação de 2019, Parasita, do sul-coreano Bong Joon-ho, que viria a vencer quatro Óscares, incluindo melhor filme, teve sua estreia mundial no Festival de Cannes daquele ano.

Superando filmes como Bacurau, Retrato de Uma Jovem em Chamas, Era Uma Vez em Hollywood e outros, Parasita foi o grande vencedor da edição de 2019, tendo recebido votação unanime do Júri presidido pelo diretor mexicano Alejandro González Iñárritu.

A ansiedade pelo lançamento do filme em mídia física no Brasil foi tanta, que o Blog do Jotacê lançou a campanha #ParasitanoBR em janeiro de 2020.

Após o comemorado anúncio de que o filme seria lançado em DVD e Blu-ray, os fãs brasileiros tiveram um banho de água fria quando, depois de diversos atrasos no lançamento, receberam o problemático Blu-ray, cuja resenha técnica realizada pelos Brothers pode ser lida aqui.

Mas o que parecia ser uma triste página virada no mercado de mídia física no Brasil ganhou uma inesperada reviravolta com o anúncio pela Versátil Home Video de que uma nova edição será lançada, ainda este ano, com entrega prevista para o final de outubro.

A nova versão conterá dois discos Blu-Ray de dupla camada (BD-50), com as duas versões do filme: a versão de cinema, em uma nova autoração (sem qualquer relação com a anterior), e a versão em preto e branco, até então inédita no Brasil.

Não bastasse, a edição terá quase três horas de extras, além de pôster, oito cards, livreto com ensaios de críticos brasileiros e a tão pedida dublagem em português.

Uma edição à altura de um vencedor de Cannes.

PALMA DE OURO DE 2018: ASSUNTO DE FAMÍLIA

O grande vencedor da Palma de Ouro na edição de 2018 do Festival de Cannes foi o filme Assunto de Família, do diretor japonês Hirokazu Kore-eda.

O sensível filme, que narra a história de uma família japonesa que comete pequenos furtos em mercados para sobreviver, parecia que não iria dar as caras aqui no Brasil. A sua distribuição no mercado nacional foi realizada pela Imovision, empresa que havia parado de lançar seus filmes em mídia física justamente no final daquele ano.

Contudo, em mais uma reviravolta do mercado de home vídeo brasileiro, a empresa anunciou, em abril de 2020 – momento em que os cinemas estavam fechados por conta da pandemia e que a procura por filmes em DVD e Blu-ray aumentou consideravelmente – que iria inaugurar uma nova loja online e lançar títulos inéditos em mídia física.

Assim, em agosto de 2020, a empresa anunciou o lançamento do grande vencedor da Palma de Ouro de 2018 em formato DVD e Blu-ray. A edição ainda continha um making of do filme.

Ambas as versões ainda podem ser encontradas nas lojas online, porém, no site da própria Imovision, apenas o Blu-ray está disponível.

Importante lembrar que o Júri do Festival, presidido naquele ano de 2018 pela atriz Cate Blanchett, concedeu a primeira (e até agora única) Palma de Ouro Especial para o cineasta Jean Luc Godard, que concorria ao prêmio principal com o filme Imagem e Palavra. O prêmio foi uma espécie de “hors concours” concedida ao lendário cineasta franco-suíço. O filme foi lançado no Brasil em DVD também pela Imovision.

PALMA DE OURO DE 2017: THE SQUARE, A ARTE DA DISCÓRDIA

O último título anunciado pela The Originals aqui no Brasil, The Square, A Arte da Discórdia, recebeu a Palma de Ouro do Festival de Cannes de 2017, que contou com o Júri presidido pelo cineasta espanhol Pedro Almodóvar.

O filme foi distribuído no Brasil pela Pandora Filmes, conhecida pelos colecionadores por não lançar seus títulos em mídia física. O cenário, contudo, mudou, pois as parcerias firmadas entre as distribuidoras e as empresas independentes viabilizou o lançamento de filmes do circuito alternativo em mídia física.

Grandes títulos da Pandora Filmes começaram a ser lançados em DVD (como O Apartamento, do cineasta iraniano Asghar Farhadi, em parceria com a Versátil) e em Blu-ray (como Em Chamas, do sul-coreano Lee Chang-Dong, em parceria com a própria The Originals).

Considerando o capricho das edições lançadas pela The Originals até agora, podemos esperar uma bela edição com luva e livreto. Em breve, divulgaremos mais detalhes da edição, bem como o início da pré-venda.

PALMA DE OURO DE 2016: EU, DANIEL BLAKE

Antes de encerrar (e depois voltar) com os lançamentos em mídia física, a Imovision distribuiu nacionalmente o vencedor da Palma de Ouro de 2016, Eu, Daniel Blake, do cineasta britânico Ken Loach (que já havia recebido o prêmio máximo do Festival de Cannes em 2006 com o filme Ventos de Liberdade).

 

O filme, que venceu a competição do Festival concorrendo com o brasileiro Aquarius, retrata o descaso do Estado em relação ao personagem que dá nome ao título.

Eu, Daniel Blake foi lançado pela Imovision apenas em DVD e atualmente a edição se encontra esgotada (talvez seja possível encontrar em lojas físicas ou no Mercado Livre/Shopee).

Com o aquecimento do mercado de mídia física, talvez seja a hora de um relançamento do filme e, quem sabe, uma nova edição em Blu-ray. O que acha, Imovision?

PALMA DE OURO DE 2015: O REFÚGIO

O grande vencedor da Palma de Ouro da edição de 2015 do Festival de Cannes foi O Refúgio, do cineasta francês Jacques Audiard, que recebeu o prêmio das mãos dos cineastas Ethan e Joel Coen, presidentes do Júri daquela edição.

No Brasil, o filme recebeu uma edição em DVD pela Califórnia Filmes. Algumas cópias remanescentes ainda podem ser encontradas à venda (por exemplo, na Vídeo Pérola), mas provavelmente o título deve estar próximo de se esgotar.

Recentemente, em razão da parceria entre a Versátil e a Califórnia Filmes, diversos títulos já esgotados foram relançados. Quem sabe esse título não recebe uma nova tiragem?

PALMA DE OURO DE 2014: SONO DE INVERNO

Mais uma lacuna do home vídeo nacional será preenchida nos próximos meses. O grande vencedor da competição principal do Festival de Cannes de 2014, Sono de Inverno, do cineasta turco Nuri Bilge Ceylan, finalmente será lançado em mídia física no Brasil.

A Versátil, em parceria com a Alpha Filmes e a Fênix Filme, caprichou no lançamento, com uma coleção com 3 DVDs, contendo dois filmes do diretor: Sono de Inverno em DVD duplo e A Árvore dos Frutos Selvagens, que competiu em Cannes em 2018.

A edição contará com mais de duas horas de vídeos extras, dentre eles: Making of de “Sono de Inverno” (139 min.), Nuri Bilge Ceylan fala de “Sono de Inverno” (5 min.), Análise de “Sono de Inverno” por Miguel Forlin (15 min.), Trailer de “Sono de Inverno” (2 min.), O cinema de Nuri Bilge Ceylan por Miguel Forlin (30 min.), Uma conversa com o diretor sobre “A Árvore dos Frutos Selvagens” (20 min.), Trailer de “A Árvore dos Frutos Selvagens” (2 min.), Análise de “A Árvore dos Frutos Sagrados” por Miguel Forlin (15 min.).

Com entrega prevista para dezembro de 2021, a coleção já está em pré-venda no site da Versátil com valor promocional até 14.11.2021 (R$ 74,90). A partir de 15.11.2021, a edição será vendida por R$ 79,90.

PALMA DE OURO DE 2013: AZUL É A COR MAIS QUENTE

O lançamento de Azul é a Cor Mais Quente em mídia física no Brasil é outro marcante capítulo do mercado de home vídeo.

O filme foi vencedor do Festival de Cannes de 2013 por votação unânime do Júri presidido pelo cineasta Steven Spielberg – que resolveu não só premiar o diretor do filme, Abdellatif Kechiche, com a Palma de Ouro, mas também, de forma excepcional, as duas atrizes protagonistas do filme: Adèle Exarchopoulos e Léa Seydoux.

O filme, desde seu lançamento no Festival, foi marcado por polêmicas, não só pelas cenas de nudez e sexo entre as protagonistas, mas também pela postura autoritária do diretor e as más condições de trabalho no set de filmagens.

No Brasil, mais uma polêmica: a Imovision, empresa responsável pela distribuição do filme no país, alertou que o filme seria lançado apenas em DVD, já que “as empresas brasileiras produtoras de blu-ray se negam a produzir o filme devido ao seu ‘conteúdo’”, citando a recusa das empresas replicadoras brasileiras Sonopress e SONY DADC.

A situação toda era ainda mais absurda, pois essas mesmas empresas já haviam replicado Blu-rays de filmes com cenas explícitas de sexo -heterossexual – como no caso da SONY DADC em O Anticristo de Lars Von Trier. Aparentemente, o problema não era apenas o conteúdo sexual.

Foram quase oito anos de espera para que o filme enfim fosse lançado em Blu-ray e, conforme anunciado de surpresa, pelo Luan da Imovision, na Live do dia 25.06.2021, o disco teve que ser replicado nos Estados Unidos, pois no Brasil, realmente não seria possível o lançamento.

Com um disco Blu-ray de camada dupla (BD-50), o filme tem pronta entrega (R$ 89,90), com capa alternativa reversível, pôster tamanho de cinema (94x64cm) dupla face e, nos extras, entrevista exclusiva com Adèle Exarchopoulos e Abdellatif Kechiche.

PALMA DE OURO DE 2012: AMOR

A espera pelo Blu-ray de Azul é a Cor Mais Quente só não foi maior do que a espera pelo disco em alta definição de Amor, do cineasta Michael Haneke (que já havia recebido a Palma de Ouro em 2009 pelo filme A Fita Branca), estrelado pelos lendários atores franceses Jean-Louis Trintignant, Emmanuelle Riva e Isabelle Huppert.

O filme foi o grande vencedor da edição de Cannes de 2012, que contou com a participação do cineasta brasileiro Walter Salles na competição principal com o filme Na Estrada.

No Brasil, a Imovision distribuiu o filme nacionalmente e lançou uma edição em DVD. No final de dezembro de 2020, com a retomada do mercado de mídia física, chegaram às lojas a edição em Blu-ray com o filme em alta definição.

O Blu-ray permanece à venda nas principais lojas on-line pelo preço de R$ 69,90.

PALMA DE OURO DE 2011: A ÁRVORE DA VIDA

O Juri da edição de 2011 do Festival de Cannes, presidido pelo ator Robert De Niro, entregou a Palma de Ouro para o cineasta Terrence Malick, pelo filme A Árvore da Vida, estrelado por Brad Pitt, Jessica Chastain e Sean Penn.

O filme, que recebeu uma espetacular edição pela Criterion Collection com dois discos Blu-ray contendo a versão de cinema (exibida no Festival) e a versão estendida, foi lançado no Brasil pela Imagem Filmes em DVD e Blu-ray.

Apesar do lançamento nos dois formatos, a edição causou certa frustração nos colecionadores brasileiros (lembrando que, em 2011, ainda era comum ver edições especiais), já que as edições vieram sem nenhum conteúdo extra.

Ainda é possível encontrar tanto a edição em Blu-ray, quanto em DVD, em algumas lojas online. Esta última, por exemplo, está disponível na FAMDVD por R$ 34,99.

PALMA DE OURO DE 2010: TIO BOONMEE, QUE PODE RECORDAR SUAS VIDAS PASSADAS

A Palma de Ouro da edição de 2010 do Festival de Cannes ficou com o cineasta tailandês Apichatpong Weerasethakul pelo filme Tio Boonmee, Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas.

O filme somente foi lançado em DVD no Brasil em 2013, inaugurando a Coleção Cultura Mostra, em parceria entre a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Livraria Cultura e Versátil Home Video.

Seguindo o padrão da coleção, o disco vinha acondicionado em um digipak com encarte especial de 8 páginas e quase uma hora de vídeos extras: Curta-metragem “Uma Carta para Tio Boonmee” do próprio diretor (18 min.), Entrevista com o diretor (16 min.), Cenas Excluídas (23 min.) e Trailer de Cinema (2 min.).

A edição (assim como toda a Coleção Cultura Mostra) está esgotadíssima. Ficamos na torcida por um relançamento do título (e outros filmes de Apichatpong Weerasethakul).

Lançamentos e pré-vendas na Amazon Brasil:

CLIQUE AQUI